De norte a sul: as origens dos Navajos

Não se conhece explicitamente quando os Navajos migraram para o deserto do sudoeste, mas várias descobertas arqueológicas situam a tribo na região em 900 DC. Outros acreditam que eles chegaram no século XV, vindos da área do Alasca/norte do Canadá. Descobertas adicionais identificam a migração da tribo Navajo vinda dos Great Plains para o leste. Muitos antropologistas e arqueologistas acreditam que a tribo descende da região asiática, milhares de anos atrás, e alguns relatórios especulam uma similaridade entre o povo tibetano e os Navajos. Arqueologicamente, as evidências sugerindo essa origem são mínimas; a evidência linguística ainda em uso atualmente sugere sua conexão com as tribos Atabascanas.

As duas tribos foram chamadas de tribos Atabascanas do Norte e do Sul, tendo o grupo do sul migrado para o sul e sendo conhecido atualmente como os Navajo. Nos anos 1500, os espanhóis observaram as várias tribos que residiam no deserto do sudoeste. Em uma tentativa de localizar as lendárias Sete Cidades de Cibola, o explorador espanhol Francisco Vásquez de Coronado chegou à tribo e os observou em seus campos. Coronado foi posteriormente morto em um confronto com a tribo Zuni enquanto exclamava que era imortal. Com a descoberta da área de sudoeste pelos espanhóis, a influência europeia começou a tomar conta do povo Navajo. Em seu esforço para colonizar o sudoeste, os espanhóis tentaram forçar seu modo de vida aos Navajos, convertendo-os ao cristianismo e batizando membros da tribo. Muitos foram mortos não muito depois de terem sido batizados. Os espanhóis assumiram uma posição na região quando declararam suas intenções de tomar o sudoeste por qualquer meio necessário. As doenças trazidas pelos espanhóis dizimaram o povo Navajo, à medida que a falta de imunidade a doenças europeias acabou dizimando várias tribos e aldeias.